sábado, 14 de junho de 2008

O primeiro mês da agonia!

Ontem fez 1 mês que enviamos nosso dossiê....NADA DE RESPOSTA! Paulinho...super ansioso...já mandou e-mail para o escritório de SP e eles, com a frieza de sempre, jogaram um balde na cabeça dele: “O processo pode durar até 90 dias...”. Em outra palavras (minha versão nordestina): “Deixa de agonia, homem...não seja avexado porque nós tarda mas não falha!”.

Em tempo: viram como meu marido ficou orgulhoso de mim....E eu orgulhosa por ele estar orgulhoso de mim ...Ele reconhece meu esforço de ir, aos pouquinhos, entrando no mundo distante do meu (por enquanto). Num mundo sem meus pais e irmãs; sem nossos amigos e sem a família dele (que em meu coração são meus também). Sem a maravilhosa praia de Serrambi (que adoramos ir, mesmo quando está chovendo), sem poder, inicialmente, exercer minha profissão (que tanto amo e me dedico de coração). Deixar tudo isso para tentar viver uma vida mais tranqüila, sem assaltos seguidos de morte, sem o medo de sair à noite, sem ver a pobreza e injustiças e não poder fazer praticamente nada...impotência total. Pensando no futuro do nosso filho, que hoje é uma criança e nos acompanha, mas que em breve será um adolescente que quer independência, gosta de sair com os amigos sem a “marcação” dos pais...Aqui eu não sobreviveria a uma saída dessas à noite...sem saber se ele voltaria. Pois é! É um objetivo. Estamos correndo atrás. Deus sabe o que faz!

Alice

2 comentários:

les disse...

Oi Alice,
Obrigada pela visita ao nosso blog!
Boa sorte na empreitada, tenha fé e muuuuuita pacieência, pois o caminho é longe.
Garanto que chegando aqui, ainda precisa chegar ainda mais cheia de fé e paciencia, mas cada conquista, cada tijolinho nesta construção nos deixa muito felizes!
Parabéns pelo blog, vi pelo post do maridão que ele é novo também (o blog, não o maridão, rsrs)

Abraços
Erika
www.leslapins.wordpress.com

Aninha disse...

Oi, Lili!
Estou muito feliz por vocês! E pensar que no início você nem queria ouvir sobre 'as maravilhas de Québec'! Sei que sua família e sua profissão ainda a deixam insegura, mas percebo que você enxerga longe e acredita que vale a pena o sacrifício. Me orgulho de você, amiga, e sinto uma inveja danada da coragem e da garra de vocês. Queria muito que tivéssemos levado adiante a idéia (que partiu de nós, lembra?!) e, ao mesmo tempo, acredito que fizemos a escolha certa para aquele momento. Mas ainda acho que essa força pode chegar um dia, especialmente com vocês já morando lá (nos passando toda a experiência e mostrando que vale a pena) e nós aqui com a família maior (é, queremos um baby ano que vem e acredito que isto tenha pesado na minha decisão de ficar aqui por enquanto!)
Adoro vocês e desejo, de coração, que tudo dê certo!

Beijão,
Aninha