domingo, 9 de novembro de 2008

Nosso Tesouro...

Nosso Tesouro é um menino lindo (Mãe coruja, mas cega não! Lindo MESMO!), saudável, contestador, inteligente, reinvindicador, carinhoso...nosso AMOR, razão das nossas vidas e dos nossos objetivos. É por ele que abriremos mão do que construimos para recomeçar tudo...TUDO! Hoje ele reclama...não entende...acha ruim! Diz que não vai conosco, vai ficar com a avó - me mata! Amanhã ele agradecerá. Lá todo seu potencial poderá ser explorado, ele poderá ser o que quiser:

Um fazendeiro...


Um pintor...




Um escritor...



Um artista plástico...




Um agricultor...



O que ele escolher...sem preconceitos, interferência social, necessidade de status... Toda e qualquer profissão é digna e valorizada. É isso que eu quero para seu futuro, é isso que buscamos!

Fotos da Exposição Cultural do colégio. As crianças visitaram uma fazenda em Igarassu (município vizinho) para conhecer uma horta e montaram a própria horta deles na escola. Foi uma iniciativa excelente! Desenvolveram consciência ecológica e tiveram noção do que a terra tem para oferecer, quando bem cuidada.



4 comentários:

Elisa disse...

Esse galeguinho é fofo demais neh? Pintor, escritor, agricultor... Sao tantas coisas! Atualmente e oficialmente é piloto de motocross e dos bons viu? Não é porque é meu sobrinho/ afilhado, ele é demais! Entende de tudo, sabe tudo hehe e olhe que ainda tem seis anos. Tá bom de corujisse neh?

Nós4 disse...

Alice,
Apesar de os conhecer, não sabia que tinham blog.
Acabei de encontrá-los por acaso num comentário num de blog de amigos (Le Quebec nos attend).
Olha só, assim como você, sou mãe e de dois meninos, com 4 e 8 anos respectivamente).
Sei como é difícil, aliás, os meus quando estavam aí QUERIAM VIR, mas ao aqui chegar e ao passar as novidades...
O mais velho já está mais adaptado. Depois de 2 meses de escola, já fala francês, compreende bem os quebecoises e já tem amiguinhos. Mas, sente falta dos amigos do Brasil e de vez em quando tem crises de saudades.
Normal!! Quem não as têm?
O mais novo demorou para entrar na "escolinha" por causa daquele problema de vagas. Preferimos não colocá-lo numa garderie em milieu familiar, por ser tão diferente do esquema que ele estava acostumado e porque o convívio seria com crianças bem menores que ele.
Na semana passada, finalmente ele entrou num CPE, com crianças na faixa etária dele.
Adorou no primeiro dia, maaasss... Agora está resistindo ir à "escola". Diz que é diferente do que ele fazia no Brasil, que aqui ele não faz nada (pois no Brasil ele já estava começando a ser alfabetizado e aqui eles não fazem isso antes dos 6 anos de idade). Vomita, chora... Não é fácil.
Por isso estou aqui lhe escrevendo.
E um conselho que lhe dou é que vá conversando muito com seu pequeno, vá mostrando que vocês estarão unidos, que ele terá muito a crescer, etc.
Afinal de contas, o grande objetivo de toda essa mudança são os nossos filhos!!
E eles por eles tudo têm de dar certo, senão, não terá sentido.
Ao menos, vemos assim.

Qualquer coisa, entra em contato, tá??
E muito boa sorte paa você e Paulo na entrevista!!

Abraços,

Dani e Hamilton

disse...

Obrigado pela visita e boa sorte na entrevista!

Priscilla, Mauricio e João Pedro!! disse...

Ola Alice,
Nossa seu filhote é uma graça!!! E loirinho desse jeito vai passar por quebecois, facil, facil hehehe!
É muito bom mesmo podermos oferecer outras perspectivas as nossos filhos visando um futuro legal. Se hj ele reluta amanha quando colher os frutos sabera reconhecer que foi a melhor escolha. Estou de acordo com a Dani no quesito "ir conversando" pois aqui realmente tudo muita muito e as crianças por mais que sejam muito valentes (tiro pelo meu)também passam por o stress que esta mudança causa.
Mais uma vez integrado as coisas começam a acontecer... temos que dar tempo ao tempo!

Bjos a vcs e MUITA sorte na entrevista!
Pri,Mau e JP.