segunda-feira, 15 de dezembro de 2008

O tal CSQ...

Caramba...finalmente ele tá na mão!
Foi uma gestação...o bebê nasceu com 8 meses, no dia 10 de Dezembro, parto difícil, muita ansiedade!

Pois é, oito meses depois de enviar a documentação finalmente fizemos a entrevista e obtivemos nosso CSQ, que, segundo a entrevistadora, “C’est la clé!” para o Québec.

A entrevista aconteceu em um hotel bem pertinho da casa dos pais de Paulinho. Saímos de casa muito antes da hora agendada, 11:15h, então ficamos dando um tempinho lá na casa deles. Um pouco mais de uma hora antes já estávamos lá. Tinha um casal aguardando, Paulinho os cumprimentou e nos sentamos. Bateu aquela agonia... uma dor de barriga! Quando voltei (do banheiro) o casal tinha subido para a entrevista: “Salão Xaxado”. Paulinho chegou a falar um pouco com eles, eram de Salvador. Estávamos na maior expectativa, pois havíamos conversado com colegas que já tinham feito a entrevista há alguns dias e eles disseram que o entrevistador era um cara do tipo “poucos amigos”. Eu tava bem preocupada, pois sou do tipo “não levo desaforo pra casa”. Mas, esse bonitão não estava mais, agora era uma senhora, segundo informações, muito simpática – sorte nossa!
Quando o casal desceu conversamos um pouco. Eles confirmaram que a entrevistadora era realmente bem gente boa. Quando nos mandaram subir meu coração gelou!

Ah...um parênteses...uma coisa bem engraçada disto tudo foi, pela primeira vez, depois de mais de quinze anos que nos conhecemos, ver meu marido de roupa social! Foi bem inusitado! É que Paulinho é sempre bem informal, no máximo uma camisa de botão, mas de manga curta, e um jeans mais clássico. Ou em poucas ocasiões especialíssimas: terno e gravata! Ele nunca tinha ficado no meio termo: calça social com blusa de manga ensacada! Lindo, como sempre, mas bem diferente do dia-a-dia ou ocasiões...foi muito engraçado!

Voltando para a entrevista...a entrevistadora era realmente tudo que disseram e um pouco mais...UMA FOFA! Simpática, conversadora, gentil, educada...se a maioria dos canadenses for como ela...eu quero ir agora! A gente sabe que não é bem assim...tem gente chata por todo lado, mas ela era tdb (tudo-de-bom). Nos deixou super tranqüilos, conversou bastante com Paulinho e quando ela percebeu que ele tinha um bom nível de francês o bicho pegou pra mim...Eles desandaram a falar...eu acho que só entendi 1/3 do que eles conversavam, mas tava ali...no salto...com cara de quem tá entendendo tudo! Ela me perguntou poucas coisas, mas respondi tudo bem direitinho, é isso que importa! Vi que preciso estudar muito mais para conseguir me comunicar melhor...afinal, Paulinho não estará comigo o tempo todo e eu não sou de ficar dependendo de ninguém...vou ter que correr!

E vcs não sabem...no meio da entrevista, de repente, se ouve: “BONJOUR!” . Eu tomei o maior susto, chega me tremi! Era um senhor gaúcho, muito louco! Ele entrou sala adentro dizendo que viu no saguão que havia algo referente a Québec acontecendo e queria pegar informações. A entrevistadora ficou bem chateada e pediu que ele se retirasse e a aguardasse no saguão, pois estava havendo uma entrevista que não poderia ser interrompida. O doido se desculpou e saiu, mas com a mesma cara-de-pau que entrou. Ela brincou que uma pessoa assim só pode ir para Toronto, pro Québec não. Já sentimos a tal rivalidade que há entre as regiões.

Ela imprimiu nossos certificados umas três vezes...é que ela errou no meu nome e no de Lucas, pois temos um “de” que ela não entendeu para que servia! Segundo ela: só para complicar... Paulinho saiu de lá parecendo pinto-no-lixo, eu tava meio anestesiada...agora é “de vera”! Quando liguei para minha mãe e ela nos deu os parabéns minha irmã (Elisa) brincou “Que falsidade Mainha!”. Eu entendo exatamente o que ela sentiu, era o mesmo que eu sentia...Estamos casa vez mais perto do nosso objetivo, isso é bom, mas também é ruim...sei que vou sofrer muito com a distância! É assim que meus pais se sentem também! Quando encontrei com minha outra irmã (Ciça), que chegou a passar 6 meses em Toronto, ela disse que não sabia se estava feliz ou triste. Acho que tenho os dois sentimentos ao mesmo tempo, se é que isso é possível,...muito confuso! Mas...é isso aí! Agora vamos ao federal...
Alice

3 comentários:

Priscilla, Mauricio e João Pedro!! disse...

oi Alice,

Parabéns, agora a corrida contra o relogio fica mais acirrada!
Olha, aproveita mesmo pra estudar mais francês nesta fase, pois chegar aqui com um nivel legal de francês faz toda a diferença!
No mais curta muito antes da viagem pois depois a saudade chega logo!
Sei que vão para Ville do Québec, mas se precisarem de algumas infos de MTL estamos aqui!
Bisous,
Pri.

Nós4 disse...

Alice,
Normal essa duplicidade de sentimentos.
Ouvi essa dica de uma amiga que está aqui há quase 2 anos e agora repasso pra você: curta bem sua família e se prepare, a despedida não é nada fácil!!
Quando chegamos, nos diziam que os 3 primeiros meses são muito difíceis, mas depois melhora. Dá uma lida no nosso post dos 4 meses. Na primeira noite aqui me senti completamente sozinha... E olha que nós somos 4!!
Depois você vai vendo rostos conhecidos, amigos que começam a ocupar a lacuna que os parentes e os amigos do Brasil deixaram.
E cada vez mais estão chegando rostos conhecidos.:-)
E lembre-se e tente fazer seus pais se lembrarem: não é uma ida sem volta!! Vocês vão voltar a se encontrar diversas vezes, nem que seja nas férias.:-D
Estamos aqui a disposição de vocês, pra conversar, pra tirar dúvidas...
Se quiserem, é só entrar em contato, ok?
Parabéns pelo CSQ e que o processo federal seja bem tranquilo, mas nada demorado!!

Abraços,

Dani e Hamilton

PS: Diga a Paulo que Hamilton ainda não descartou a possibilidade de abrir uma empresa de sinalização por aqui. Quem sabe ele chegando os dois não se juntam e colocam essa idéia pra frente?:-D

disse...

Obrigado pela visita e pra matar a curiosidade, São Bento é a cidade na Paraíba.